BC mantém juros a 6,5% ao ano pela 4ª vez seguida

Os membros do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiram, por unanimidade, manter a Selic (os juros básicos da economia) em 6,50% ao ano nesta quarta-feira, 19. Com isso, a taxa permaneceu no nível mais baixo da série histórica do Copom, iniciada em junho de 1996. Foi a quarta reunião seguida em que a taxa permaneceu neste patamar.

A decisão era largamente esperada pelos economistas do mercado financeiro. De um total de 69 instituições consultadas pelo Projeções Broadcast, todas esperavam a manutenção da Selic em 6,5% ao ano, revela o Terra.

Incerteza eleitoral

Para os demais dois encontros do Copom até o fim de 2018, a perspectiva para a taxa de juros é menos clara e pode ser influenciada por efeitos secundários decorrentes do resultado eleitoral. As reuniões serão em 30 e 31 de outubro e 11 e 12 de dezembro, ambas após a definição do novo presidente.

Analistas apontam que, a depender do perfil do candidato vitorioso, pode haver um rearranjo das expectativas e, consequentemente, do horizonte inflacionário, o que poderia levar o BC a reavaliar o momento de iniciar o ciclo de aperto monetário. Das 67 estimativas, 61 indicam manutenção da Selic em 6,50% até o fim de 2018, o que corresponde a 91,0%. As demais projeções variam de 7,00% a 7,50%.

Já em relação à perspectiva da taxa de juros no fim de 2019, a maioria das instituições consultadas espera que o Copom promova um aumento, levando a Selic do atual patamar considerado estimulativo a um nível acomodatício. Apenas três das 66 expectativas enviadas ao Projeções Broadcast indicam a Selic a 6,50% no fim do ano que vem, com intervalo partindo deste patamar até 10,00%. A moda das projeções aponta para 8,00%.

20/09/2018

(Visited 1 times, 1 visits today)